Configurar um TNC para fazer de digipeater em APRS

Se ainda tem um TNC, e gostaria de fazer parte da rede APRS como fill-in, retransmitindo os pacotes que escuta, deve configurar o MYALIAS para WIDE1-1, e abandonar o termo RELAY. Defina a variável UNPROTO, por exemplo para,

CQ VIA WIDE1-1,WIDE2-2
e,
DIGIPEAT ON

Se o firmware do TNC estiver preparado para APRS e no pacote recebido o valor de “N” for maior que zero, o TNC decrementa “N” de 1 e retransmite o pacote.
Ver post “Digipeating em APRS com novos padrões“.

Não necessita de ter o TNC ligado a um GPS para que este se registe na rede de APRS.
Se estiver ao alcance rádio de uma iGate, ou através de outros digipeaters, altere o beacon do TNC para,

![latitude]/[longitude][tipo] [texto]

Onde,
! – indica o formato de dados a serem interpretados pelo APRS

[latitude] – expressa até ao máximo de 8 caracteres, em graus e minutos com 2 decimais seguido de “N” para Norte ou “S” para Sul

/ – símbolo primário da estação (ver página 102 a 104 do link em referência)

[longitude] – expressa até ao máximo de 9 caracteres, em graus e minutos com 2 decimais seguido de “E” para Este ou “W” para Oeste

[tipo] – segundo símbolo da estação de rádio

[texto] – texto livre

Exemplo do beacon para a minha estação,

!3612.34N/11518.95W- CT1EBQ, digi WIDE1-1, QRA Ricardo, Cascais PT

Neste exemplo, o conjunto /- representa o símbolo “House QTH (VHF)”

Glossário:
fill-in – um digipeater WIDE1-1 de apenas um salto, que possibilita as estações móveis a chegarem a um iGate
Digipeater – uma estação que retransmite pacotes de AX.25 identificada por um indicativo no máximo de 8 digitos
iGate – um digipeater que regista um beacon na rede aprs.fi

Referências:
APRS Protocol Reference

Digipeating de APRS com novos padrões

As convenções de APRS estabelecidas décadas atrás já não servem o número de utilizadores e o tráfego actualmente existente, gerado por digipeaters e equipamentos obsoletos que duplicam os pacotes enviados às iGates ocupando a banda desnecessariamente.

Não esquecer que o principal objectivo do APRS é informar os utilizadores da rede da geolocalização de cada estação de rádio ou dispositivo. É desnecessário por isso utilizar métodos que retransmitam o beacon diversas vezes sobre tudo quando o sinal já foi escutado por uma iGate e disponibilizado à rede.

No entanto, é importante a existência de digipeaters para garantir que os pacotes de dados de APRS cheguem à iGate. Apesar de utilizarem o AX.25, estes pacotes de APRS podem ser comparados a uma transmissão de broadcasting não havendo qualquer protocolo para garantia de uma boa recepção. Se forem escutados e chegarem correctamente são retransmitidos e, eventualmente chegam a uma iGate.

A rede de APRS na Europa funciona nos 144,800MHz a 1200 bauds, FM, em modo simplex e, em satélites adoptou-se os 145,825MHz à semelhança da ISS.

Normalmente a rede de APRS de RF é suportada por clubes de rádio-amadores, ou por equipamentos TNC, raspberry pi ou computadores a correrem FBB ou BPQ32 entre outros, em estações de amadores…

Para resolver este paradigma, de congestionamento da rede, eliminaram-se as nomenclaturas de RELAY e WIDE, alterando-se para caminhos do tipo WIDEn-N, onde o primeiro “n” representa o número de saltos desejados e o segundo “N” o número de saltos restantes, valor decrementado por cada digi que retransmite o pacote. Evita-se assim que o pacote de RF percorra o país gerando tráfego desnecessário!

Glossário:
Digipeater – uma estação que retransmite pacotes de AX.25 identificada por um indicativo no máximo de 8 digitos
iGate – gateway entre a rede de APRS de HF, VHF e UHF e a Internet

Referências:
APRS Protocol Reference